Waldir Maranhão, além de, sofrer pressão de seu partido possivelmente deve ter sofrido ameaças mais graves que levou ele a reconsiderar a anulação do Impeachment.

É visível que há interesses poderosos em jogo. Está claro que não interessa as elites brasileira subservientes aos interesses internacionais ver o Brasil integrando o MERCOSUL e os BRIC’S. Incomoda aos representantes da Casa Grande ver que hoje o povo tem mais direitos sociais, dignidade e o pais é mais democrático que antes.·.

Por trás do Impeachment contra Dilma ha uma sórdida aliança política capitaneada pela grande mídia aliada a partidos de direita que na atualidade representam a ala fascista da política brasileira.

Os setores historicamente entreguistas estão à frente do golpe de estado, a marcha conservadora vai muito além do ato antidemocrático no Senado no dia 11/05/2016, eles irão às últimas consequências até diminuir o papel do estado na economia que pressupõe privatizar empresas estratégicas ao desenvolvimento soberano do país, o projeto deles é colocar o país na condição de colônia do capital financeiro internacional novamente. Eles vão reeditar a era FHC.·.

O povo precisa resistir nas ruas e nas redes ao ataque das elites, as conquistas sociais dos trabalhadores-as, a soberania nacional e a nossa autodeterminação.

Não podemos permitir nenhum retrocesso, a retirada de nenhum direito duramente conquistado nos últimos anos, desde a promulgação da Constituição cidadã.

O futuro da nação está em jogo, não podemos recuar, é preciso reunir em uma única trincheira os verdadeiros democratas, patriotas, aqueles que nos últimos 14 anos trabalham na construção de um novo projeto nacional de desenvolvimento que tem como centralidade a valorização do trabalho, as reformas democráticas, a ampliação dos direitos sociais e a democracia, elementos essenciais na construção de um Brasil socialmente mais desenvolvido e mais justo.

VIVA A DEMOCRACIA!
NÃO AO GOLPE DE ESTADO!

Wanderley Gomes da Silva
Diretor de Saúde da CONAM