O portal de notícias G1 publicou na manhã de hoje (21) que o MTST tentava invadir o Ministério das Cidades e que o ministro Bruno Araújo considerou o protesto “sem sentido”. Infelizmente, a repórter que noticiou dessa forma não apurou os fatos antes de divulgar informações equivocadas sobre o real sentido da manifestação.

Diversas entidades dos movimentos sociais e sindicais, do campo e da cidade, tentam dialogar com o ministro desde 2016, o qual nunca compareceu em diversas audiências e reuniões marcadas. A pauta dos movimentos, não é apenas a liberação de contratações do Programa Minha Casa Minha Vida para a faixa 1, como divulgou superficialmente a repórter. A reivindicação sobre o MCMV, Urbano e Rural, é mais específica, além de conter também propostas para resolução de conflitos fundiários e de maior participação e controle social, conforme pode ser vista no documento assinado pelos movimentos do campo e da cidade no link: Movimentos fazem manifestação no ministério das Cidades por moradia digna.

Após algumas horas de manifestação, uma comissão foi recebida pela equipe técnica do ministério e o ministro das Cidades receberá os movimentos amanhã (22), às 14h, em seu gabinete.

Portanto, sem sentido é a matéria feita às pressas pelo referido portal de notícias, na clara intenção de criminalização dos movimentos sociais e de confundir seus leitores, com uma ação isolada do ministério em relação ao programa que não coaduna com a real pauta da luta pela Regularização Fundiária.