A defesa do ‘petróleo é nosso’ marcou a luta dos movimentos populares e sociais historicamente, primeiramente pela criação da Petrobras (Na década de 1950 a campanha o Petróleo é Nosso) e recentemente pelo Pré-sal (O Pré-Sal é Nosso).

O movimento comunitário acompanhou toda luta pelo novo marco regulatório da exploração do petróleo, capitalização da Petrobras, criação da Pré-Sal SA, e a substituição da concessão pelo modelo de partilha, concluindo com o Fundo Social, com recursos, principalmente, para Educação e Saúde.

Este modelo fortaleceu a Petrobras, exigindo que ela estivesse em todos os blocos de exploração, entendemos que este projeto, 131/2015 aprovado no Senado, vai na contramão do que detemos e construímos no último período.

Fica cada vez mais claro que o interesse de fragilizar a Petrobras passa por minar a tentativa de desenvolvimento da nossa indústria, da nossa soberania e da indústria nacional da infraestrutura. Cada vez mais fica claro os interesses imperialistas e obscuros destas ações em detrimento dos interesses do povo brasileiro. Recursos tão estratégicos como estes não podem ser vistos como mera mercadoria.

A CONAM e o movimento comunitário estará nas ruas ao lado dos demais movimentos sociais e populares reafirmando a defesa da Soberania Nacional, da Petrobras e do Pré-Sal. O Governo tem que ter postura altiva e não se curvar a interesses escusos. Não vamos admitir retrocessos. O Pré-Sal é nosso!

São Paulo, 25 de fevereiro de 2016.

Diretoria Executiva da CONAM